História do Circo

 

 

"Meu sonho era ser engenheiro, mas apenas contruí castelos de sonhos para muita gente".

Piolin

O CIRCO NA ANTIGUIDADE

Pode-se dizer que as artes circenses surgiram na China, onde foram descobertas pinturas de quase 5.000 anos em que aparecem acrobatas, contorcionistas e equilibristas. A acrobacia era uma forma de treinamento para os guerreiros de quem se exigia agilidade, flexibilidade e força. Com o tempo, a essas qualidades se somou a graça, a beleza e a harmonia. Em 108 a.C. houve uma grande festa em homenagem a visitantes estrangeiros, que foram brindados com apresentações acrobáticas surpreendentes.

Nas pirâmides do Egito existem pinturas de malabaristas e paradistas. Nos grandes desfiles militares dos faraós se exibiam animais ferozes das terras conquistadas, caracterizando os primeiros domadores. Na Índia, os números de contorção e saltos fazem parte dos milenares espetáculos sagrados, junto com danças, música e canto.Na Grécia as paradas de mão, o equilíbrio mão a mão, os números de força e o contorcionismo eram modalidades olímpicas. Os sátiros faziam o povo rir, dando continuidade à linhagem dos palhaços... No ano 70 a.C., em Pompéia, havia um anfiteatro destinado a exibições de habilidades incomuns.

O Circo Máximo de Roma apareceu pouco depois, mas foi destruído em um incêndio. Em 40 a.C., no mesmo local foi construído o Coliseu, onde cabiam 87 mil espectadores. Lá eram apresentadas excentricidades como homens louros nórdicos, animais exóticos, engolidores de fogo e gladiadores, entre outros. Porém, entre 54 e 68 d.C., as arenas passaram a ser ocupadas por espetáculos sangrentos, com a perseguição aos cristãos, que eram atirados às feras. O primeiro circo europeu moderno foi inaugurado em Londres por volta de 1770. Tinha um picadeiro com uma espécie de arquibancada perto.

Construiu um anfiteatro suntuoso e fixo, pois ficaria permanentemente no mesmo lugar. Primeiramente organizou um espetáculo eqüestre, com rigor e estrutura militares depois reuniu outras atrações como saltimbancos, equilibristas, saltadores e palhaço. Com o passar dos anos acrescentou também saltos acrobáticos, dança com laços e malabarismo. Este primeiro circo funcionava como um quartel: os uniformes, o rufar dos tambores, as vozes de comando para a execução dos números de risco. Criou-se também a figura do mestre de cerimônias. Seu espetáculo foi visto por gente de todo mundo, pois Londres era muito visitada. E em 50 anos, houve um rápido desenvolvimento do circo no mundo.

O termo circus foi utilizado pela primeira vez em 1782. Em princípios do século XIX havia circos permanentes em algumas das grandes cidades européias. Existiam, além disso, circos ambulantes, que se deslocavam de cidade em cidade em carretas cobertas.

O CIRCO NO BRASIL

No Brasil, mesmo antes do circo de Londres, já haviam os ciganos que vieram da Europa, onde eram perseguidos. Sempre houve ligação dos ciganos com o circo. Entre suas especialidades incluíam-se a doma de ursos, o ilusionismo e as exibições com cavalos. Há relatos de que eles usavam tendas e nas festas sacras, havia bagunça, bebedeira, e exibições artísticas, incluindo teatro de bonecos. Eles viajavam de cidade em cidade, e adaptavam seus espetáculos ao gosto da população local. Números que não faziam sucesso na cidade eram tirados do programa.

O circo itinerante existe no Brasil a partir dos fins do século XIX. Desembarcavam em um porto importante, faziam seu espetáculo partiam para outras cidades, descendo pelo litoral. Instalando-se na periferia das grandes cidades e voltado para as classes populares, sua modernização não se deu em termos de espaços e equipamentos. Por isso, os palhaços são as figuras centrais, dependendo deles o sucesso do circo. O circo brasileiro modificou algumas atrações. O palhaço brasileiro falava muito, ao contrário do europeu, que era mais mímico.

O público também apresentava características diferentes: os europeus iam ao circo apreciar a arte. No Brasil, os números perigosos eram as atrações: trapézio, animais selvagens e ferozes. Surge um novo movimento, que pode ser chamado de Circo Contemporâneo. Não há uma data precisa do seu surgimento, mas pode-se dizer que o movimento começou no final dos anos 70, em vários países simultaneamente.

Na Austrália, com o Circus Oz (1978), e na Inglaterra, com os artistas de rua fazendo palhaçadas, truques com fogo, andando em pernas de pau e com suas mágicas. A primeira escola que se instalou no Brasil chamava-se Piolin, em São Paulo, no estádio do Pacaembu (1977). Atualmente temos muitas escolas no Brasil, como o Circo Escola Picadeiro, em São Paulo, formando o Circo Contemporâneo Brasileiro.


Arrelia , Pimentinha e sua troupe.


Visitas: 7295